17/08/2013

Amor é bicho instruído









Amor é bicho instruído
Olha: o amor pulou o muro
o amor subiu na árvore
em tempo de se estrepar.
Pronto, o amor se estrepou.
Daqui estou vendo o sangue
que escorre do corpo andrógino.
Essa ferida, meu bem
às vezes não sara nunca
às vezes sara amanhã.

CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE



05/08/2013

Segredo






SEGREDO

Não contes do meu
vestido
que tiro pela cabeça

nem que corro os
cortinados
para uma sombra mais espessa

Deixa que feche o
anel
em redor do teu pescoço
com as minhas longas
pernas
e a sombra do meu poço

Não contes do meu
novelo
nem da roca de fiar

nem o que faço
com eles
a fim de te ouvir gritar


MARIA TERESA HORTA, in POESIA COMPLETA (Litexa, 1983)
*

Óleo sobre tela: Slowly Undressing, de Nicolay Reznichenko





Related Posts with Thumbnails

Contribuidores